Em 2008 fui convidada a participar da Semana da Educação “Educar para Transformar”, promovida pelo Instituto de Educação e Ação Social Novidade de Vida, no bairro do Socorro, Zona Sul de São Paulo. A palestra sobre bullying chamou minha atenção, e ali fiquei intrigada com as ações cruéis dos nossos jovens escolares. Como educadora, fiquei perplexa com a ação dos bullies e nasceu em mim uma vontade de combater esse mal, o bullying, tão antigo e tão sutil.
    Aliei-me com a organizadora do evento, Elenice da Silva, e juntas produzimos o Programa Bullying e Cyberbullying. O combate de todo brasileiro! que se diferencia divulgando casos em trâmites e julgados pela justiça brasileira e apresenta sugestões de combate ao bullying e cyberbullying.
    A partir do ano de 2009, após cada palestra ministrada, sentíamos a necessidade de ajudar os educadores quando nos faziam a pergunta: Agora já sabemos o que é bullying, mas como combatê-lo? Desde 2010 ,eu e a Elenice fomos estudar na Escola Superior da Magistratura do Estado do Rio Grande do Sul, e fomos capacitadas pelo Programa Justiça para o Século 21 – JR 21, e encontramos a Justiça Restaurativa para a pacificação dos conflitos intraescolares.
    Assim, temos realizado palestras pelo Brasil sobre a ação do fenômeno bullying escolar e nos sentimos realizadas em poder contribuir na área educacional para minimizar o sofrimento do próximo ao combater esse mal, às vezes velado e confundido com brincadeira.


Aloma Ribeiro Felizardo
Idealizadora do Programa Bullying e Cyberbullying: O combate de todo brasileiro!

Voltar